Arquivo da categoria: Victoria

Saindo de Victoria – Dia 11

Continuando a estrada sentido Sydney soubemos de um veleiro que encalhou na praia em 1897 num lugar chamado Trinculo que fica na Ninety Mile Beach mas não sabíamos a localização correta então fomos parando em todas as praias até acharmos o tal do veleiro. Como as praias eram todas muito parecidas deixo aqui a foto da nossa preferida, a Seaspray Beach 🙂

Seaspray Beach

Seaspray Beach

DSC_0326

Esqueleto do veleiro no Trinculo

Esqueleto do veleiro no Trinculo

Passando por Sale fomos ver a famosa ponte de engrenagens (Swing Bridge) que fica sob o rio Latrobe. Projetada por John Gainger e construída em 1883 pelo governo de Vitória foi a primeira ponte móvel construída no estado. Sua estrutura de ferro forjado de 45m de comprimento gira em torno de colunas cilíndricas de aço. No seu auge ela era aberta aproximadamente 20 vezes por dia, atualmente ela abre uma ou duas vezes por semana, aos sábados se não me engano (não lembro da informação correta e não encontrei nada a respeito na internet, então me desculpe se eu estiver errada). Em 2003 iniciou-se uma restauração que terminou somente em 2006. A ponte aparece no filme The Tender Hook, de 2008.

The Swing Bridge

The Swing Bridge

The Swing Bridge

The Swing Bridge

The Swing Bridge

The Swing Bridge

Ao lado da ponte tem uma escultura representando uma canoa Aborígene feita de casca de árvore e nela podemos ler a estória da criação do povo Gunnai Kurnai. Com a chegada dos europeus muitos aborígenes foram mortos nos confrontos, estima-se que atualmente cerca de 3000 Gurnai Kurnais vivem na região que hoje é conhecida como Gippsland. A lenda conta que Boorun, o pelicano veio do noroeste pelo rio The Macalister, cruzou com o rio Latrobe perto do ponto onde hoje existe a ponte, caminhou sentido Port Albert carregando a canoa em sua cabeça, ao longo do caminho ele ouviu um som de uma batida constante mas nao identificou do se tratava. Ao chegar em um ponto mais fundo desceu a canoa e para sua surpresa havia uma mulher dentro dela, ela se chamava Tuk, o pato almíscar. Ele ficou muito feliz ao vê-la e ela se tornou sua esposa. Foi deles que descendeu o povo Gunnai Kurnai.

Escultura representando uma canoa Aborígene

Escultura representando uma canoa Aborígene

Após longas horas de estrada saímos do estado de Vitória e passamos a noite em um hotel em Bega em New South Wales (Nova Gales do Sul em português).

Anúncios

A volta pela costa – Dias 9 e 10

É hora de dar tchau!

A partir daqui vamos beirando a costa até Sydney, sem reservas, sem planejamento, somente seguindo as praias e parando onde acharmos interessante.

Saímos do camping de Princetown sentido Geelong (a maior cidade antes de chegar em Melbourne) para pegar um ferry em Queenscliff e ir para a Mornington Peninsula que é um lugar super bacana e cheio de atividades quando o tempo está bom, mas como não foi esse o caso quando passamos por lá não aproveitamos nada e acabamos só passeando de carro pois estava uma ventania terrível =/

Contornamos a península beirando a baía Port Philip, a idéia era encontrar algum camping ou hotel dentro da península e torcer para que no outro dia o tempo melhorasse e pudéssemos mergulhar com golfinhos =] mas para nossa tristeza não encontramos nenhum lugar vago (óbvio né, era dia 28 de dezembro) então continuamos na estrada.

i – Almoçamos em Rosebud num lugar chamado ‘Espresso Kitchen Pizza & Pasta’, altamente recomendado, macarrão delicioso e barato e as pizzas estavam com uma cara maravilhosa. Pagamos $25 por dois pratos de macarrão + pão de alho + refrigerante de 1,5L + sorvete de sobremesa.

Saímos da península e fomos para Phillip Island, uma charmosa ilhazinha onde é possível observar pinguins e focas. Ainda ventava muito então não conseguimos fazer muita coisa por lá também, atravessamos a ilha para ver as focas em Seal Rocks mas o barco saía de tardezinha e não podíamos esperar pois ainda precisávamos achar um lugar para dormir, mas deu pra fazer um passeio bem gostoso no The Nobbies.

Ponte de acesso á Phillip Island

Ponte de acesso á Phillip Island

Shelly Beach

Shelly Beach

Ganso de bico verde chamado Cape Barren Goose

Ganso de bico verde chamado Cape Barren Goose

The Nobbies

The Nobbies

Seal Rocks

Seal Rocks

DSC_0162 DSC_0216

Passando por Foster achamos um restaurante maravilhoso chamado ‘Mrs Devo’s Country Kitchen’ fica bem ao lado do Pearl Park onde tem um memorial em comemoração á corrida do ouro que aconteceu em meados de 1870 no riacho Stockyard Creek.

DSC_0289

IMG_2199[1]

Passamos também por Port Welshpool e Port Albert.

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Welshpool

Port Albert

Port Albert

Continuamos a costa até Woodside Beach onde finalmente achamos um camping para passar a noite.

No vídeo abaixo da pra se ter uma idéia da ventania e porque não conseguimos fazer quase nada hehehe.

Obrigada pela visita!!! Beijos da mi! 🙂

Doze Apóstolos – Dia 8

Finalmente fomos fotografar os Doze Apóstolos \o/

Primeiro conhecemos a praia Gibson Steps, essa é uma das poucas praias ali por perto que são acessíveis. Ela tem esse nome porque foi um cara chamado Gibson quem construiu a escada que da acesso a praia. Aqui é possível ver mais de perto dois dos Doze Apóstolos.

Gibson StepsDSC_0035_2DSC_0049DSC_0133DSC_0063

Paramos em Port Campbell pra almoçar e comemos fish and chips (peixe e batata frita) num lugar chamado Frying Nemo (Fritando o Nemo) hahaha tadinho

20140222-101827.jpg

Inicialmente os Doze apóstolos tinham outro nome, Sow and Piglets, mas a população local achou que eles tinham muito glamour pra ter esse nome e então batizaram as pedras com o nome que conhecemos hoje. Do mirante é possível ver 7 pedras do lado direito e 2 do lado esquerdo, as outras (todas do lado direito) ficam escondidas atrás das demais. As pedras calcárias são formadas em camadas, com a mais nova sendo a mais próxima da superfície e a mais resistente, então quando você olha para o penhasco você vê um registro geológico vertical de milhões de anos! As pedras calcárias de Port Campbell são datadas de 15 a 20 milhões de anos. A chuva, o vento e as ondas são os responsáveis por “moldar” essas pedras nos mais variados formatos, como os arcos e grutas, que mostrei nesse post aqui.DSC_0157

DSC_0147

DSC_0176

Esses são os dois que ficam do lado esquerdo do mirante e o Gibson Steps

Desastre, tragédia, heroísmo e romance
Essa é a história do Loch Ard, um navio com 54 pessoas que deixou a Inglaterra em março de 1878, depois de quase 3 meses no mar o capitão do navio avistou a Austrália e as pessoas fizeram uma festa a bordo para comemorar a chegada, mas em 1 de junho o navio atingiu uma ilha e afundou. Somente duas pessoas sobreviveram, um menino de 18 anos que fazia parte da tripulação, Tom Pearce, e uma passageira também de 18 anos, Eva Carmichael. Eva não sabia nadar e se agarrou as destroços, as ondas a levaram para um estreito desfiladeiro onde ela gritava por ajuda, Tom também conseguiu chegar a costa mas ouviu os gritos de Eva e voltou para salvá-la a levando até a praia. Ele cuidou dela e eles adormeceram exaustos em uma caverna, quando acordou Tom foi buscar ajuda e encontrou um homem que os socorreu, Eva levou 8 semanas pra se recuperar mas os dois ficaram bem. Eva voltou para a Irlanda e se casou com um médico. Tom foi homenageado pela sua valentia e ganhou a primeira medalha de ouro da sociedade humanitária de Vitória. Casou-se e teve três filhos sendo que dois deles morreram em naufrágios e o próprio Tom sobreviveu a mais um naufrágio. Ainda hoje você pode visitar o cemitério onde os corpos encontrados foram enterrados.DSC_0185 DSC_0206 DSC_0200 DSC_0218

Foi ali na pontinha da esquerda que o navio bateu

Foi ali na pontinha da esquerda que o navio bateu

Essa é a praia onde eles foram resgatados

Essa é a praia onde eles foram resgatados

Seguimos a estrada para a Bay of Islands (Baía de ilhas) que é o último dos principais pontos turísticos da Great Ocean Road, mas ao chegar em Peterborough a estrada estava fechada devido à algumas queimadas por ali, o jeito então foi ver essa parte de… err… helicóptero 😀

i- Fizemos o passeio com a empresa Helicopter Scenic Flights, o trajeto de aproximadamente 10min pela Bay of Islands custa $110 por pessoa, eles tem outros trajetos também, incluindo claro os Doze Apóstolos.

Foi incrível, tanto a sensação de voar de helicóptero (primeira vez dos dois) quanto de ver a paisagem. Bom sem mais delongas deixo aqui um vídeo com esse nosso momento inesquecível 🙂

Obrigada pela visita e fiquem agora com alguns cangurus fofos e briguentos 🙂

DSC_0015_01 DSC_0035_01

Great Ocean Road – Dia 7

Aqui na Austrália dia 26 de dezembro é feriado: Boxing Day! Algo como a Black Friday dos EUA, um dia que a maioria das lojas estão em liquidação e a cidade fica uma loucura. Então fomos pra Torquay ver se achávamos preços bons nas lojas de surf mas infelizmente elas não entraram na brincadeira. Valeu o passeio pois fomos pela Great Ocean Road e tivemos duas horas de estrada com vistas incríveis.

Paramos em Lavers Hill num lugar chamado Yatzies que é um café/mini mercado/posto de gasolina para o café da manhã, altamente recomendado! Comemos ‘bacon egg n cheese muffin’ (um tipo de pão com bacon, ovos e queijo), panquecas, café e um biscoito maravilhoso chamado Monte Carlo (biscoito caseiro recheado com um creme de baunilha e geleia de framboesa) tudo isso por um preço bem camarada 😉

Yatzies

Yatzies

A Great Ocean Road é o maior memorial de guerra do mundo, uma homenagem aos soldados que morreram lutando na primeira guerra mundial. A estrada foi construída pelos soldados que retornaram ao país a fim de que eles tivessem emprego após o fim da guerra. A construção começou em 1918 finalizando 14 anos mais tarde. O trecho tem 243km ao longo da costa sudeste da Austrália ligando as cidades de Torquay e Allansford no estado de Vitória (clique no mapa para mais detalhes). Nós fizemos o trecho a partir do camping (ponto B no mapa abaixo) rodando mais ou menos 170km em 2 horas de paisagens maravilhosas como você pode conferir no vídeo =]  (calma! o vídeo tem somente uns 5 minutos rsrs)

Mapa Great Ocean Road

Mapa Great Ocean Road

Fizemos algumas paradas rápidas em Bells Beach, Southside Beach, Anglesea e Lorne.

Bells Beach

Bells Beach

Anglesea

Anglesea

Anglesea

Anglesea

Great Ocean Road Great Ocean Road Great Ocean Road Great Ocean Road Great Ocean Road Great Ocean Road

Na volta aproveitamos o entardecer para uma atividade diferente num lugar chamado Melba Gully State Park, fica em Lavers Hill. É um parque com uma área de picnic bem bacana e uma trilha na floresta que leva a uma cascata, mas a atração principal chega com a noite, são as glow worms! Uma espécie de larva que têm uma substância que absorve a luz durante o dia e brilha na escuridão. A trilha é bem fácil e tranquila e é nela que você vai ver as glow worms. Espere até escurecer completamente e apague as lanternas, espere até seus olhos se adaptarem e você vai ver o céu estrelado na terra 🙂
Se você for no verão lembre-se que anoitece beeem tarde, chegamos lá as 8h30 e só escureceu mesmo ás 10h (você consegue ver as larvas brilhando antes de escurecer completamente mas não será a mesma coisa). Na trilha ainda pode ser visto um eucalipto de 60 metros que caiu em 2009 abrindo uma clareira na floresta e se você tiver sorte pode ver algum ornitorrinco na cascata (infelizmente não tivemos essa sorte).

E com vocês as Glow Worms!

E com vocês as Glow Worms!

Fizemos um vídeo mostramos um pouco da trilha, da cascata e do eucalipto caído mas não consigo colocar mais de um vídeo por post então clica aqui pra ver 🙂

The Arc, London Bridge e The Grotto – Dia 6

O dia começou bonito e ensolarado, tudo pra ser o dia que estávamos esperando pra visitar as atrações do Port Campbell National Park e do Bay of Islands.

Primeira parada: Mirante de Port Campbell (west).

Port CampbellThe-ArchDSC_0357DSC_0384  DSC_0360DSC_0380

london bridgeNa verdade não se chama mais London Bridge (Ponte de Londres) e sim London Arch (Arco de Londres) porque em 1990 o arco próximo a costa desabou deixando dois turistas ilhados na ponta da pedra, eles foram resgatados por um helicóptero e ninguém se feriu.

DSC_0390_2DSC_0413DSC_0398

the grottoDSC_0443 DSC_0434 DSC_0425

Quando estávamos saindo do Grotto o Dani não estava se sentindo bem e eu fui picada por uma vespa então voltamos pro camping – só pra não perder o costume de passar o Natal de cama hahaha (ano passado duas águas-vivas se enrolaram nas minhas canelas e passamos a meia noite no hospital) 😕.

Fizemos um churrasco de jantar de Natal e lutamos com as centenas de moscas pra conseguir comer.

Feliz Natal!!!

Feliz Natal!!!

Gellibrand River Mouth – Dia 5

Véspera de Natal!

Resolvemos ficar no camping mesmo e conhecer a prainha que tem aqui por perto onde desemboca o rio Gellibrand (aquele da pescaria).

Gellibrand River

DSC_0246_01 DSC_0251 DSC_0263_01 DSC_0272 DSC_0276 DSC_0326

Cachoeiras, Pinguins e Curiosidades – Dia 4

Amanheceu nublado novamente, fazia 16° em Princetown então resolvemos procurar atividades em o sol não faria muita diferença. Fomos para Beech Forest onde rola uma tirolesa no Otway Fly Treetop Adventures, mesmo com chuva estávamos dispostos a nos aventurar porém quando chegamos vimos que não era uma simples tirolesa, tinha toda uma estrutura e o passeio todo durava em torno de 2,5h e custava $115! E isso estava totalmente fora do nosso orçamento então acabamos desistindo.

Entrada do Otway Fly

Entrada do Otway Fly

Seguimos em frente e logo chegamos ao Triplet Falls, cachoeiras alimentadas pelo Young Creek que ainda faz parte do Great Otway National Park (um parque nacional de 103 km² que fica à 162km sudoeste de Melbourne), tínhamos duas opções de trilhas, a primeira para a própria Triplet (foi a que escolhemos) com 2km de caminhada e a outra chamada Little Aire Falls com 2,5km de trilha. (Clique nas miniaturas para ver o álbum)

Triplet Falls

Triplet Falls

Black Snail

O Black Snail é um caracol carnívoro que vive nas florestas úmidas e frias de Vitória

Agumas fofuras pelo caminho…

(Clique nas miniaturas para ver o álbum)

A próxima parada foi no farol de Cape Otway mas chegamos 5min após o farol fechar e não pudemos nem fazer a trilha até ele, só nos sobrou uma trilha de uns 20min que dava num mirante de onde é possível vê-lo beeem de longe.Trilha para o Cape Otway Ligthstation

Trilha para o Cape Otway Ligthstation
Cape Otway Ligthstation

Cape Otway Ligthstation

O sol já estava se pondo e os pinguins se preparando para uma noite de descanso na praia. Eles são os Little Penguins e como o nome já diz eles são bem pequeninos, medindo cerca de 33cm de altura este é o menor de todas as espécies. Eles são vistos em duas praias de Port Campbell, na dos Doze Apóstolos que tem uma colônia de aproximadamente 1000 pinguins e na London Bridge que tem uma colônia em torno de 60 a 100 pinguins. Eles passam quase o dia todo na água caçando e então começam a retornar para suas tocas ao entardecer. Depois que o sol se pôs esperamos por uns 40min e finalmente eles apareceram, vimos um grupo de uns 15 pinguins saindo da água coladinhos e conforme andavam areia a dentro eles começaram a se distanciar e andar mais rápido rsrsrs uma graça. Pena que ainda sou marinheira de primeira viagem e não soube regular a câmera pra capturar essa cena (o meu tripé mal para em pé com o peso da câmera e o vento estava impossível nesse dia), mas deixo aqui minha tentativa hahaha

Pinguins

Pinguins

Curiosidades sobre pinguins

É isso aí pessoal, até a próxima!

%d blogueiros gostam disto: