Arquivo da tag: NSW

Nadando com Tubarões & Arraias em Port Stephens

Olá pessoal! Quanto tempo não? hehe pois é, estou bem atrasada com os posts por aqui mas tenho muita coisa pra mostrar e finalmente consegui preparar os primeiros vídeos e fotos da nossa viagem de verão 2014/15 em que percorremos aproximadamente 3700km em 16 dias. Saímos de Sydney com destino a Great Barrier Reef em Quensland. Como não daria tempo de ir ate Cairns, que é o destino mais famoso pra ver a barreira de corais, pesquisamos qual seria o local mais próximo à Sydney em que poderíamos ver os corais e encontramos a Cidade de 1770 (que não tem esse nome por acaso, vou contar a história em outro post).

Durante essa viagem tivemos varias experiências diferentes e interessantes, tanto de atividades como de acomodação. Dormimos em hotel, backpacker, centro esportivo, experimentamos a plataforma Airbnb (vai ter um post só sobre esse tipo de acomodação), teve acampamento em caravan park, em ilha e em montanha. Além dessa viagem visitamos outros lugares aqui por perto de Sydney que são incríveis também e estão na fila pra aparecer aqui. Enfim, teve muita coisa legal e eu quero finalmente poder mostrar tudo pra vocês. 🙂

Nossa viagem começou com a chegada dos pais do Dani aqui na Austrália, literalmente pegamos a estrada no dia seguinte. Fizemos um roteiro com as atividades que queríamos fazer e com as acomodações pré determinadas mas parávamos toda vez que víamos algo interessante no mapa ou nas placas.

Irukandji Shark and Ray Encounters

A primeira parada foi no Irukandji Shark and Ray Encounters (antigo Shark and Ray Centre – quando fomos ainda era esse nome) que fica em Port Stephens – NSW. É uma espécie de aquário interativo onde você pode entrar nas piscinas junto com os tubarões e arraias podendo tocar e alimentar os animais, a propaganda diz que esse é o único lugar do mundo que você pode alimentar esses tipos de animais estando dentro do tanque junto com eles. O centro conta com 17 espécies diferentes de tubarões e arraias (contando com todos os animais são 38 espécies), sendo o tubarão Port Jackson e as arraias Eastern Fiddler e Stingarees as mais comuns. A maioria são animais resgatados que não conseguiram se adaptar a natureza. As piscinas são bem cuidadas e simples, são praticamente tanques d’agua sem muito enfeite pra turista ver, são pensadas para agradar aos animais. Todos parecem saudáveis e interagem bem com os visitantes. A água das piscinas maiores batem na cintura (de um adulto médio, não na minha hahaha) e as piscinas menores são mais rasas. Crianças de qualquer idade podem visitar o local, ate mesmo bebês.

A arraia gigante que aparece “estapeando minha cara” no vídeo eh uma Black Stingray e ela pesa mais de 300kg. Nesse tanque o guia induz a arraia (com petiscos) a passar pela fila de visitantes para que possam tocá-la e também para ela dar “tapa” na cara de quem o quiser. Havia também um tubarão Tawny Terrain de quase 3 metros de comprimento, esse ficava separado do publico por uma rede dentro da piscina mas com a instrução do guia era possível tocar o animal algumas vezes. De tempo em tempo os funcionários fazem apresentações de fatos e curiosidades sobre os animais, com exceção da apresentação da arraia gigante em que ela interage com as pessoas em troca de petiscos, todas as apresentações são somente faladas (sem exploração dos bichos). A sensação de tocar esses animais é indescritível, sendo as arraias super macias e lisas, algumas espécies de tubarões são lisos e outros tem pele bem grossa e áspera.

Existem também outros taques menores com outras espécies marinhas como enguias, cavalos-marinhos e outros peixes, tanques com os tubarões e arraias jovens que ainda não estão tão acostumados com humanos e uma piscina menor e rasa onde você pode sentar e deixar as arraias “subirem” no seu colo para serem acariciadas.

_DSC0002

Quanto:

  • Adultos – $29.50
  • Crianças – $19.50
  • Passe Família (2 adultos + 2 crianças) – $95

Para entrar de fato nas piscinas são cobrados $15 adicionais que incluem o aluguel da roupa de mergulho ou de um macacão que veste por cima da roupa mesmo e te mantém seco (e chato haha).

Para outros passes, valores e informações atualizadas visite o site: http://www.sharkencounters.com.au/buy-tickets.html.

Quando: 9h ás 17h, abre todos os dias (exceto no Natal)

Onde: 686 Marsh Rd Bobs Farm NSW 2316

O que mais tem lá: Estacionamento grátis, lojinha e lanches estão disponíveis no local.

***

Port Stephens

A cidade de Port Stephens é repleta de atividades interessantes e paisagens naturais maravilhosas. Com uma reserva marinha gigantesca onde você pode ver muitos golfinhos e baleias na época de migração, nadar, surfar, praticar snorkelling, mergulhar, andar de caiaque/Stand up paddle/barcos, praticar esportes radicais ou simplesmente relaxar na areia. Além das atividades marinhas é possível também voar de paraglider, andar de quadriciclo, camelo ou cavalo pelas areias das praias. A cidade também abriga dunas de areia magnificas onde é possível fazer sandboarding e algumas praias que só tem acesso com veículos 4×4. Além de tudo isso Port Stephens preserva a cultura aborígene em áreas protegidas mas que podem ser visitadas. No parque nacional Tomaree existem varias trilhas para fazer a pé ou de bicicleta que sempre acabam em mirantes com vistas sensacionais ou em praias lindas. Para mais informações sobre a cidade, acomodação, atividades, preços e contatos visite o site  http://www.portstephens.org.au/.

Uma parte das dunas

Ronaldo, Clélia, Dani e uma parte das dunas ao fundo

_DSC0022

Trilha no Tomaree Park

_DSC0028

Tomaree Head

Vista a partir do Tomaree Head

***

Acomodação

Nossa primeira noite foi numa casa que alugamos através do Airbnb. Falarei em mais detalhes sobre a plataforma mas uma explicação rápida seria que qualquer pessoa pode alugar um quarto ou até mesmo a casa inteira por no mínimo uma noite. São muitas vantagens, por exemplo, sai mais barato que hotel se você estiver em grupo, você tem o conforto e aconchego de uma casa e de quebra conhece um pouco mais da cultura local já que a maioria dos anfitriões gosta de interagir com os convidados. Essa casa que ficamos era super confortável, linda, bem decorada e com uma anfitriã super simpática e tagarela haha. Melena eh uma professora descendente de italianos que falava pelos cotovelos mas fez de tudo para nos sentirmos a vontade, disponibilizou vários encartes, mapas e guias da cidade e também nos falou sobre o local (apesar de já conhecermos a cidade informação nunca eh demais né). Quando acordamos no dia seguinte ela tinha preparado uma mesa linda de café-da-manhã pra nós, isso não estava incluso no valor que pagamos, ela fez de bom grado. 😀

Cidade: Nelson Bay, Port Stephens

Tipo de acomodação: Airbnb – um quarto com duas camas de casal. Clique aqui para ver o anúncio dessa casa e conferir os valores atualizados.

Valor: Uma noite para 4 pessoas – $150 ($37.50 por pessoa)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Isso é tudo por hoje, ate o próximo post, que não vai demorar muito dessa vez, prometo! haha

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Anúncios

Backpacker Review – Arts Factory (Byron Bay)

Quando estivemos em Byron Bay ficamos em um backpacker chamado Arts Factory Backpackers Lodge que fica a 10min andando até a praia. Criado nos anos 70 por hippies e artistas a vila onde o backpacker fica ainda tem o mesmo espírito até os dias de hoje. Um local alternativo com muita arte, musica e amor pela natureza e pelo próximo. O local é também origem de festivais de Blues e Roots.

O complexo do Arts Factory Village engloba o backpacker – com quartos privados, dormitórios mistos/femininos e camping – cinema, bar e restaurante, cervejaria, spa e luxuosos bangalôs balineses.

As facilidades do backpacker incluem piscina, mesa de ping-pong, cancha de vôlei, maquinas de bebidas e snacks, lavanderia (paga), café (o melhor bacon n egg roll + mocha ever), balcão de viagens – oferece descontos em atividades locais além de  pacotes e ofertas para sua próxima viagem – Ônibus gratuito para o centro da cidade, uma área fechada com computadores, 2 mesas de bilhar, sofás, mesas e até uma lareira. Na área aberta muita natureza e atividades/oficinas interessantes como Yoga, malabares, confecção de didgeridoo (instrumento musical aborígene), aula de como tocar tambores, sobrevivência na selva, e até mesmo jardinagem no Eco garden onde você pode se voluntariar em troca de vegetais.

A cozinha conta com quatro fogões de quatro bocas cada (não tem forno, só a parte de cima), duas pias, varias mesas, louças, talheres, panelas podem emprestadas na recepção, sanduicheira, torradeiras e torneira de água fervendo (aqui é bem comum esse tipo de torneira pra facilitar na hora de cozinhar ou fazer um chá/café).

Os preços variam desde $27 (dormitórios) até $80 (quarto privado). Pegamos um pacote promocional pague por 3 noites e a 4a é de graça 🙂

Adoramos a estadia e recomendamos!👍

Acomodações

(clique nas fotos para ver o álbum)

Demais áreas

O Buddha Bar e a Byron Bay Brewery (cervejaria) ficam na frente do backpacker, do outro lado do estacionamento pra ser mais exata, com musica ao vivo todos os dias e atrações especiais nos fins de semana. Tem a opção de happy hour em que você pode comprar uma tábua de degustação das cervejas fabricadas ali. São 6 sabores que vem numa bandeja de madeira em formato de prancha de surf e um folheto com os detalhes de cada sabor.

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Byron Bay

Na semana passada fizemos uma trip pra Byron Bay, uma cidadezinha que fica no nordeste do estado de NSW quase chegando em Queensland, e é o ponto mais leste da Austrália! Fica a aproximadamente 770km de Sydney (+/- 9hs de carro). É uma cidade bem alternativa, um dos locais com o maior número de artistas e artesãos daqui, muitos hippies, medicina alternativa, praias lindas e um ótimo lugar para surfar, mergulhar e praticar snorkelling, e claro muuuuiiiiitos festivais \o/ de filmes, escritores, musica, etc. Um dos mais famosos é o festival de blues o Bluesfest que ainda não pude ir mas esta nos planos 😉

O cartão postal da cidade é o farol, Cape Byron Lighthouse, ele é aberto a visitações porém estava fechado para reforma quando estávamos lá então pudemos ver somente o térreo onde tem um “mini museu” com peças antigas (quando ainda era usado um queimador a querosene), acessórios, fotos e até mesmo ossos de baleias e um crânio de uma tartaruga enooorme, que não tenho fotos pelo simples fato que estava tão concentrada olhando cada coisinha lá do museu que me esqueci completamente da câmera 😛

Mesmo sendo inverno e um frio de lascar eu e o Dani não nos contemos e pulamos nas águas da Tallow Beach que fica bem ao lado do farol.

Tallow Beach

Tallow Beach vista do lado direito do farol

_DSC0128 _DSC0134

Byron Bay é também um ótimo destino para ver (e nadar com) golfinhos e no inverno também é possível observar as baleias! Vimos os dois lá do farol mas estavam muito longe :/

_DSC0115

 

Aguentamos a ventania congelante que estava lá em cima e ficamos pra ver o pôr do sol.

_DSC0241_DSC0177 _DSC0187 _DSC0218 _DSC0269 _DSC0277

 

Dessa vez tivemos uma ótima companhia durante a viagem, a Cris e a Lu ❤ Beijos meninas!

20140814-072817-26897879.jpg

 

Mais informações:

http://www.visitbyronbay.com/about-byron-bay/
http://www.byron-bay.com/
http://en.wikipedia.org/wiki/Byron_Bay,_New_South_Wales

 

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Um poquinho de Jervis Bay – Dias 12 & 13

Clicks & Trips

Já estávamos na estrada há algumas horas quando encontramos um lugar muito bacana para preparar nosso almoço, era totalmente escondido, vimos uma plaquinha de picnicarea e quando chegamos (uns 300m da rodovia) nós deparamos com um lindo lago! Estava cheio de gente (era tão escondido que achamos que mal teria uma mesinha pra montarmos um sanduba), tem churrasqueiras, mesas, banheiros e rampa para os barcos. Muitos barcos, jet-skis, bóias, pranchas e esquis (para a prática de wakeboard e waterskiing respectivamente) faziam a alegria da galera.

Aqui na Austrália os lagos são tão frequentados quanto as praias (talvez até mais), tanto para um picnic e uma relaxada na grama quanto para pesca e prática de esportes radicais.

DSC_0003DSC_0004

Seguimos para Batemans Bay  pela Beach Road parando nas praias de Malua Bay, Surf Beach e Sunshine Bay subindo mais um pouco passamos pela Myrtle Beach, a trilha, de cerca de…

Ver o post original 312 mais palavras

Um poquinho de Jervis Bay – Dias 12 & 13

Já estávamos na estrada há algumas horas quando encontramos um lugar muito bacana para preparar nosso almoço, era totalmente escondido, vimos uma plaquinha de picnic area e quando chegamos (uns 300m da rodovia) nós deparamos com um lindo lago! Estava cheio de gente (era tão escondido que achamos que mal teria uma mesinha pra montarmos um sanduba), tem churrasqueiras, mesas, banheiros e rampa para os barcos. Muitos barcos, jet-skis, bóias, pranchas e esquis (para a prática de wakeboard e waterskiing respectivamente) faziam a alegria da galera.

Aqui na Austrália os lagos são tão frequentados quanto as praias (talvez até mais), tanto para um picnic e uma relaxada na grama quanto para pesca e prática de esportes radicais.

DSC_0003 DSC_0004

Seguimos para Batemans Bay  pela Beach Road parando nas praias de Malua Bay, Surf Beach e Sunshine Bay subindo mais um pouco passamos pela Myrtle Beach, a trilha, de cerca de 300m, para chegar nessa praia é linda e é chamada de floresta encantada pelos locais.

Malua Bay

Malua Bay

Floresta encantada

Floresta encantada

Myrtle Beach

Myrtle Beach

Começamos nossa busca por acomodação mas claro que todas estavam lotadas. Depois de uns 150Km e muito cansaço e já conformados em passar a primeira noite do ano dormindo no carro eis que encontramos um hotel perdido na minúscula cidade de Berry. Geralmente rolam duas queimas de fogos pro ano novo, uma para as crianças ás 9h e outra á meia noite, mas cidades pequenas como Berry tem somente uma queima de fogos normalmente ás 9h e como só conseguimos achar o hotel ás 9h30 e não teria nada muito próximo de onde estávamos acabamos não vendo nada e passamos a virada do ano dormindo (não, não pense: coitadinhos! Nós não nos importamos com isso hehe).

i- Bangalee Motel – 10A Princess Highway – $130 a pernoite.

Tomamos café da manhã e voltamos uns 50Km para uma visita à nossa querida Jervis Bay passamos pelo Green Patch e fomos conhecer a Murrays Beach, na volta paramos na Scottish Rocks e caminhamos pela areia até a praia Hole in the Wall onde ficamos por boas horas (esse é mais um pedaço do paraíso como a praia do Green Patch) , a água gelada como sempre mas ainda assim estava maravilhosa. Todas essas praias fazem parte do Booderee National Park.

i- A entrada do parque nacional custa $11 por carro e vale por 48 horas.

Murrays Beach

DSC_0039DSC_0040 DSC_0044 DSC_0049

Scottish Rocks

DSC_0058 DSC_0061 DSC_0063

Hole in the Wall

DSC_0076 DSC_0088 DSC_0077 DSC_0073 DSC_0066

Irei escrever um post mais completo sobre Jervis Bay e o camping do Green Patch, o de hoje foi só uma amostra desse paraíso 😀

Continuamos na estrada e logo já chegamos em Sydney, fizemos uma paradinha no Hurricane’s Grill em Rockdale para matar a fome com a deliciosa costelinha deles 😛

Ribs

Obrigada pela visita pessoal! Xoxo

%d blogueiros gostam disto: