Arquivo da tag: Queensland

Springbrook National Park

Saindo de Gold Coast resolvemos voltar pra Sydney por outro caminho que não fosse a costa já que já tínhamos passado por várias praias entre as duas cidades. Decidimos então conhecer a área montanhosa de Queensland. Na hora de reservar o camping achei o parque nacional Springbrook que tem varias cachoeiras e lugares lindos pra visitar. O parque fica num planalto de 970 metros de altura que foi formado a partir de uma gigantesca erupção vulcânica 23 milhões de anos atrás.

Ficamos no Settlement Camping Area, no alto do planalto, que é super simples. Os sites são bem bons, grandes, planos e com gramado, ao lado de cada um tem uma vaga de carro. Na entrada do camping tem os banheiros e uma area para picnic pra quem acampa e pra quem vai passar o dia na floresta, nessa area tem um estacionamento, água potável, mesa e churrasqueira elétrica coberta. Não tem chuveiros e nem lixeiras no parque portanto você deve levar o lixo embora com você.

Montamos a barraca debaixo de chuva, assim que estava tudo arrumado a chuva parou haha.

_DSC0171 _DSC0200

Nosso chuveiro :D

Nosso chuveiro 😀

Tipo de acomodação: Acampamento – Espaço para uma barraca e um carro

Valor: Duas noites em um site (se paga pela vaga mas dividimos a barraca em 4 pessoas, o que sai mais em conta) – $46 ($5.75 por pessoa por dia)

Nesse dia fomos ver uma caverna onde tem glow worms (já mostrei essas “larvas luminosas” em outro post, clique aqui pra ver), o local se chama Natural Bridge. Chegamos lá perto do pôr-do-sol e pudemos ver que o local é lindo durante o dia também, pena que não tivemos tempo pra voltar lá no outro dia. Fizemos uma curta caminhada a partir do estacionamento e esperamos escurecer completamente pra ver as worms 🙂

Fica mais ou menos assim

_DSC0243

Tem uma mini cachoeira que cai dentro da caverna em cima de um tronco caído e faz um efeito lindo. Da pra ver algumas glow worms ali no teto na esquerda.

_DSC0229

No outro dia fizemos uma caminhada de uns 6km, chama Purling Brook Falls Circuit, fomos até a Warringa Pool onde paramos pra nadar. A caminhada é de nível 3 o que significa que não é tão fácil hehe, muitas pedras e raízes expostas dificultam a caminhada em alguns trechos, outros tem bastante inclinação.

Eles pedem pra limparmos os sapatos antes de fazer a trilha pra não levar organismos transmissores de doença de uma floresta pra outra

_DSC0258 _DSC0260 _DSC0265 _DSC0268 _DSC0274 _DSC0290 _DSC0293 _DSC0301 _DSC0307 _DSC0310 _DSC0311 _DSC0315

_DSC0318

A caminhada foi tão longa que a maior alegria do dia foi ver a placa do camping haha

_DSC0319 _DSC0322 _DSC0323 _DSC0329 _DSC0330 DSCN4144 DSCN4149

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Anúncios

Gold Coast – Festa de Ano Novo em Surfers Paradise

Passamos por Gold Coast somente pra ver os fogos da festa de Ano Novo ficando lá apenas por uma noite, por isso vou mostrar bem pouco da cidade aqui nesse post. Passeamos pela cidade e conhecemos algumas praias, dentre elas a famosa Surfers Paradise.

_DSC0016_DSC0007_DSC0017_DSC0004_DSC0006_DSC0021_DSC0028_DSC0061_DSC0115

Eu particularmente não curti passar a virada lá, na verdade não sou muito referência porque não sou muito chegada em lugares lotados de gente haha, mas acho que pra quem procura um lugar bacana pra ver a virada não vai se empolgar muito em Gold, a não ser que vá pra alguma festa depois dos fogos. Tinha bastante gente até mas nem se compara com a festa de Sydney. Achei que os fogos foram bem sem graça também, acho que não durou nem 10 minutos e pelo que vocês podem ver no vídeo eles saíam de um único ponto o que não fica muito interessante de ver. Após a queima de fogos a maioria das pessoas foi embora, teve gente que foi pra festas particulares nos arredores mas a praia mesmo esvaziou em questão de minutos. Enfim, deixo aqui o vídeo e as fotos pra se ter uma ideia de como foi 😉

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Brisbane – Ferry, South Bank & Bicicletas

Olá pessoal!

Hoje é dia de mostrar a linda Brisbane 😀

Partindo da Universidade de Queensland pegamos um Ferry até um dos pontos principais (se não o principal) da cidade, South Bank. É uma espécie de centrinho da cidade, tem muitas lojas, restaurantes, bares e até uma praia artificial hehe. Como em Brisbane não tem praia foi criada essa artificial para as pessoas se refrescarem no calorão que faz por lá. O Ferry, que faz parte do transporte público assim como aqui em Sydney, custou uns $5. As estações ficam ao longo do Rio Brisbane, que é a inspiração para o nome da cidade. Para conferir itinerários, tabela de horários e preços das passagens tanto para o Ferry quanto para outros tipos de transportes públicos clique aqui.

_DSC0482 _DSC0485a_DSC0518 _DSC0509 _DSC0521 _DSC0531 a_DSC0510

Muitas pontes legais nesse rio

Este slideshow necessita de JavaScript.

South Bank

South Bank

Streets Beach

_DSC0540 a_DSC0538_DSC0532 _DSC0564 _DSC0577 _DSC0590 _DSC0604 _DSC0643 _DSC0644 a_DSC0562 a_DSC0645

_DSC0551 _DSC0571 _DSC0652

_DSC0655 a_DSC0654Na volta alugamos bicicletas para explorar a cidade de um jeito diferente 🙂 Esse serviço é ótimo! Uma maneira muito bacana e barata de conhecer a cidade. Chama CityCycle, são 150 estações espalhadas pela cidade. Você faz um cadastro e em cada estação tem a máquina que libera as bicicletas, você só precisa digitar seu código e a bicicleta é liberada, não precisa falar com ninguém e funciona 24 horas por dia nos 7 dias da semana! Você pode devolver a bicicleta em qualquer estação, só precisa encaixá-la no suporte da estação e digitar o código novamente e o sistema reconhece que você fez a devolução. Se o tempo que você ficar com a bike for menor que 30 minutos o aluguel sai de GRAÇA!!! Maravilhoso não?! E melhor que isso, você pode andar meia hora parar numa estação esperar uns minutinhos e pegar outra bike por mais meia hora e assim pode ficar o dia todo passeando de bicicleta pela cidade 🙂 Se passar de meia hora você paga o aluguel, que é super barato de qualquer forma. Ah, e como o uso do capacete é obrigatório aqui eles ficam disponíveis junto com as bicicletas. Veja mais informações e preços nos links abaixo:

  • Guia passo-a-passo de como usar o serviço.
  • Cadastro – O cadastro pode ser pra uso de um dia a um ano, pegamos o de um único dia que custou apenas dois dólares.
  • Tarifas para tempo excedente aos 30 minutos gratuitos.

_DSC0607 _DSC0610 _DSC0613 a_DSC0616

Resolvemos esticar o passeio para ver a cidade á noite e acertamos em cheio pois as luzes coloridas dão outra cara pro lugar. Nesse dia eu quis experimentar alguma coisa na chocolataria Max Brenner que vi numa foto do Instagram de uma brasileira que mora em Brisbane. Até então achava que era uma loja local mas depois que dei a primeira garfada no waffle deles fui direto pra internet olhar se tinha alguma loja em Sydney e pra minha felicidade tem várias 😀 Sério, o chocolate deles é de outro mundo. Nunca comi nada tão bom! Meus favoritos são o Waffle, Foundue e o Chocolate Quente tradicional mas não tem como errar no pedido, tudo lá é divino. Além de servir as sobremesas no Chocolate Bar ainda tem a lojinha onde você pode comprar vários tipos de chocolate pra levar pra casa. A melhor parte é que o preço não é absurdo, claro que não é tão barato assim mas pra qualidade do chocolate acho que vale super a pena. Esse Waffle da foto por exemplo, vem com uma bola de sorvete e frutas e custa $14.50.

a_DSC0639

_DSC0659 a_DSC0662 _DSC0664 a_DSC0674 _DSC0670 _DSC0668_DSC0679_DSC0683_DSC0685

_DSC0700

Nepal Peace Pagoda

_DSC0711

a_DSC0695

Wheel of Brisbane

a_DSC0722a_DSC0688

E pra fechar com chave de ouro, uma cervejinha 🙂

_DSC0729

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Grande Barreira de Corais – Snorkelling, Peixinhos Coloridos e Tartaruga Marinha

Saímos da Fraser Island e continuamos a estrada sentido a Great Barrier Reef. Como não teríamos tempo pra ir ate Cairns onde é a parte mais famosa da Grande Barreira de Corais procuramos o começo da Barreira que fica a umas 5 horas ao norte de Brisbane. Escolhemos a segunda ilha da cadeia de ilhas da Grande Barreira, se chama Lady Musgrave Island sendo a primeira a Lady Elliot Island. A ilha e seus arredores fazem parte de um parque nacional. O modo mais fácil de chegar la é pela cidade chamada Town of 1770, que tem esse nome pois foi lá a segunda parada do capitão James Cook em maio de 1770.

Compramos o tour de um dia com a Lady Musgrave Cruises. O Day Tour inclui mais de 5 horas na Grande Barreira, equipamento para snorkelling (coletes salva-vidas, bóias, óculos & pés-de-pato), roupa de mergulho disponível para locação por $10, passeio no barco com fundo de vidro até a ilha, tour pela ilha com um guia que fala sobre a fauna e a flora local, lanchinho da manhã/tarde e almoço. Eles tem outros tipos de pacotes que incluem pesca e mergulho também.

O barco leva mais ou menos 90 minutos pra chegar na ilha, chegando lá tem tipo uma plataforma onde ficam os equipamentos e toda a estrutura do local. Na ilha mesmo não tem nada! Da pra acampar lá mas parece que a única estrutura é um banheiro daqueles que só tem o buraco embaixo da privada, sabe? haha. Na plataforma tem os banheiros comuns, área para refeições, armários, os equipamentos de snorkelling e mergulho, uma sala submersa com vidros onde você pode ver os peixes que ficam ao redor da plataforma e também uma area de repouso pra tomar um sol e descansar 🙂

Chegando lá já fomos direto pra água e só saímos pra almoçar. Depois fomos fazer o passeio até a ilha com o barco de vidro e voltamos pra água mais um pouco antes do barco voltar pra cidade. Pudemos ver muitos tipos de corais, peixes, anémonas, tartarugas e tantos outros animais que nem sei a classificação hahaha. Tudo muito lindo e colorido 🙂 Pudemos também aprender muitas coisas sobre as espécies que vivem lá pois os guias estão sempre contando as histórias pra galera.

A água é cristalina e dá pra ver bem nitidamente porém no vídeo nunca fica igual né, as imagens ficam mais esverdeadas e embaçadas do que ao vivo mas continua sendo lindo! Eu não cheguei a levar minha câmera nem pro barco mas ainda bem que meus sogros levaram as câmeras deles e agora posso mostrar um pouquinho dessa maravilha aqui pra vocês 😀

*Créditos de todas as fotos e vídeos do Ronaldo e da Clélia 🙂

DSCN3400 DSCN34012 DSCN3504IMG_1538

 

Quanto:

  • Adultos – $190
  • Crianças (4 á 14 anos) – $90
  • Passe Família (2 adultos + 2 crianças) – $495

Para outros passes, extras, valores e informações atualizadas visite o site: Lady Musgrave Cruises

Pra que esse post não fique muito longo vou dividir em duas partes e mostrar o passeio na ilha no próximo post 😉

A acomodação tanto no dia anterior quanto no dia do passeio foi em um backpacker bem bacana em Agnes Water que fica a uns 10 minutos da marina de Town of 1770.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cidade: Agnes Water

Tipo de acomodação: Backpacker – dois quartos com cama de casal em uma cabine. Clique aqui para ver o site e conferir os valores atualizados.

Valor: Duas noites em dois quartos de casal – $260 ($32.50 por pessoa)

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Fraser Island – Lake McKenzie

Olá pessoal! Esse é o terceiro e último post sobre a Fraser Island. Hoje vou mostrar pra vocês o Lake McKenzie.

O nome do lago na língua aborígine é Boorangoora. Ele fica a 100 metros acima do nível do mar, cobre uma área de aproximadamente 150 hectares e tem um pouco mais de 5 metros de profundidade.

A areia do lago é constituída de sílica branca e pura, o que além de formar uma paisagem linda também torna a areia muito mais macia. A areia age também como filtro fazendo com que a água, que é somente água de chuva, seja tão pura que não é adequada para muitos animais. O lago não é alimentado por lençol freático e não deságua no mar. A água da chuva foi se acumulando com o passar dos anos e a areia e matéria orgânica na base do lago foram formando uma camada impermeável prevenindo que a agua da chuva fosse drenada.

O Lake McKenzie é um dos pontos mais populares da Fraser Island junto com o Eli Creek. Uma parada obrigatória pra quem visita a ilha 🙂

_DSC0416 _DSC0410 DSCN3282 _DSC0458 _DSC0421_2 _DSC0444_2

 

Para ver os outros dois posts sobre a Fraser Island clique nos links abaixo 😉

Fraser Island – A ilha, Dirigindo na areia, Dingoes & Naufrágio

Fraser Island – Wanggoolba Creek, Eli Creek, The Pinnacles & Indian Head

 

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Fraser Island – Wanggoolba Creek, Eli Creek, The Pinnacles & Indian Head

Olá pessoal! Mais um post sobre a Fraser Island 😀 Para ver o primeiro post sobre a ilha clique aqui.

Começamos o dia pela trilha próxima ao camping que era na Central Station. A trilha, em mata fechada, era de nível fácil e cheia de plantas lindas e gigantes pra apreciar. Fomos até Wanggoolba Creek que é um local sagrado para o povo Butchulla. Hoje em dia o local é aberto ao turismo mas antes da chegada dos europeus esse era um local que poderia ser frequentado somente por mulheres, era onde elas tinham seus bebês. A água do rio é considerada sagrada então bebê-la é como uma benção dada pela natureza ❤ Nesse rio, banho não é permitido.

_DSC0097 _DSC0098 _DSC0099 _DSC0106 _DSC0113 _DSC0115 _DSC0118

Eli Creek é o maior rio da costa leste da ilha, ele deságua até 4 milhões de litros de água no mar por hora! A água gelada é uma delícia pra refrescar no calor que faz por lá. O local é ótimo pra fazer um picnic e passar o dia, super popular entre os visitantes. Tem uma trilha suspensa ao lado da água que vai mata adentro e no final dela você pode entrar na agua e se deixar levar pela correnteza até a praia.

 _DSC0197 _DSC0201_DSC0135 _DSC0141 _DSC0160 _DSC0178 _DSC0144

O The Pinnacles são penhascos de areia colorida na parte leste da ilha. Eles se formaram há centenas de milhares de anos quando minerais foram filtrados pela areia e foram expostos nas dunas. Com o passar dos anos, o vento e a agua então moldaram os penhascos no formato que vemos hoje. Foram contabilizadas até 72 tons diferentes de cores de variedades de amarelo, laranja, vermelho e marrom. A lenda aborígine sobre esses penhascos, que também são sagrados pra eles, conta a estória de uma mulher jovem chamada Wuru que foi prometida em casamento a um homem mais velho, Winyer, mas ela se apaixonou por Wiberigan, a serpente arco-íris. Wuru visitava a praia todos os dias para estar com Wiberigan, um dia Winyer a seguiu e num surto de ciúmes atirou seu boomerang nela mas Wiberigan a protegeu e foi acertado. Ele se despedaçou em milhares de pedaços que caíram sobre a areia colorindo os penhascos. Wuru escapou ilesa e a partir de então o The Pinnacles se transformou num local de sorte para mulheres.

_DSC0202 _DSC0204 _DSC0206

_DSC0210

PERIGO. Um dingo agressivo frequenta essa área

 

O Indian Head é a ponta mais ao leste da ilha. Fica no final da 75 Mile Beach (que é a praia comprida que serve como estrada). Foi nomeada pelo Captain Cook quando ele passava por lá e avistou alguns aborígenes no alto do penhasco. Foi criada por atividade vulcânica há aproximadamente 50-80 milhões de anos atrás. Do alto da Indian Head podemos ter uma visão de  360° e é bem comum avistar animais marinhos lá do alto. Nós vimos um tubarão e tartarugas marinhas.

_DSC0237 _DSC0241 _DSC0252 _DSC0277 _DSC0291

Nem preciso comentar que a Fauna e Flora da ilha são incríveis né?! Tem muitas, mas muitas, espécies diferentes por lá e a cada passo você avista algo diferente pra apreciar. Nesse dia vimos essa águia linda que tinha acabado de garantir seu almoço. E mais dingoes claro 😀

_DSC0330 _DSC0218 _DSC0222 _DSC0226

Um videozinho pra mostrar melhor nosso dia 😀

Senta que lá vem historia…

Uma história engraçada desse dia. Era dia 25 de dezembro e queríamos preparar um jantar de Natal. Fomos no mercadinho na vila próxima ao camping (próxima que eu digo seria uma meia hora de carro porque próximo mesmo era só mato haha), vi uma plaquinha na frente de uma casa dizendo que vendiam camarões, fomos eu e Clélia lá comprar alguns. O tiozinho simpático mandou a gente entrar e foi pegar a balança pra pesar, acabou que passou um meio quilo mas ele tava mais preocupado me explicando o jeito que eu devia preparar os camarões e em papear que acabou nos dando o excesso de presente 🙂 Ele me disse que eu deveria deixar os camarões de molho em água do mar por um tempo e depois servir com limão e pimenta. Como eu não tinha como pegar a agua ele ainda me deu um baldinho pra ir la buscar. Clélia foi encontrar o Dani e o Ronaldo no mercado e eu fui ate a praia com o baldinho em uma mão e a sacola de camarões na outra. A vila fica bem próxima da praia mas é cercada para os dingoes não entrarem lá, tem só um abertura para os carros. Enfim, tinha que caminhar um pouco até chegar na água. Peguei o tanto que precisava e quase chegando no portão da vila parei pra colocar os camarões na água ali mesmo. De repente eles chegam apavorados pra que eu entrasse no carro, eu achando que era devido ao horário, estava escurecendo e seria mais difícil voltar pro camping naquelas estradas de areia no escuro, fui andando em direção ao carro pensando “poxa espera um minutinho, só queria por os camarões ali pra já ir marinando #xatiada” hahaha. Quando entrei no carro me mostraram o dingo do outro lado do carro de cabeça baixa, orelhas pra cima e pelos arrepiados pronto pra me atacar. Eles chegaram na hora certa! E fui salva de levar umas belas de umas mordidas. Por isso repito: ande em grupos e de preferência não de bobeira com comida haha.

O mercadinho da vila

O mercadinho da vila

Comprando os camarões

Comprando os camarões

Simulação hahaha

Simulação hahaha

O tal risoto :P

O tal risoto 😛

_DSC0386

Ainda tem mais um post sobre a Fraser Island, nesse mostro o encantador Lake McKenzie!

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

Hervey Bay & Pelicanos

Olá pessoal! Continuando os posts da nossa viagem pela costa leste da Austrália fomos em direção a Fraser Island. Para isso teríamos que dormir em uma cidade próxima a ilha para o treinamento na empresa de aluguel do carro 4×4 um dia antes de partir pra ilha. Fomos então pra Hervey Bay e acabamos passando duas noites acampando lá. A cidade é pequena e não tem tanta coisa pra ver. Fomos dar uma volta e achamos um píer bacana e lindos pelicanos 🙂

_DSC0043_DSC0049 _DSC0051 _DSC0055_DSC0056_DSC0057_DSC0077_DSC0082

 

Quando estávamos voltando pro camping vimos essa vendinha de frutas e verduras. Os produtos ficavam ali na mesa com os preços e você coloca o dinheiro em uma caixinha. Não fica ninguém cuidando. O pior de tudo é saber que isso foi uma coisa curiosa e incrível pra gente que não tá acostumado a ver honestidade nas pessoas. Deveria ser só uma simples banquinha, mas acabou virando algo curioso o suficiente pra se tirar uma foto e ser compartilhado. Gostaria de ver muito mais dessas vendinhas por aí. Comecemos então por nós mesmos, emanando o que queremos de volta pra nós 🙂

_DSC0091

Obrigada pela visita pessoal 😀

M.

%d blogueiros gostam disto: